A Corrida dos Braços e a Musculação

Categoria: Colunistas
Publicado: Terça, 08 Abril 2014
Escrito por Luiz Carlos Moraes
A Corrida dos Braços e a Musculação

É certo que boa parte de quem começa um programa de corrida rústica se preocupa logo em planos de treinamentos baseado em quantos quilômetros correr por dia ou na semana, qual o equipamento melhor, alimentação antes, durante e depois do treino ou competição e ainda qual o tipo de passada melhor. Entretanto, um detalhe que ainda alguns corredores esquecem é a importância do movimento dos braços na biomecânica da corrida. Não só os braços como toda a parte superior do corpo é extremamente importante para uma corrida eficiente. O corredor não corre só com as pernas. De nada adianta ter pernas fortes e resistentes, passada bem coordenada e veloz se não tiver uma caixa torácica boa e flexível que permita boa expansão pulmonar captando e distribuindo oxigênio suficiente para a demanda da corrida. Engana-se quem pensa que os músculos do tórax e abdome atuam apenas na função de inspiração/expiração. Eles ajudam no pequeno e importante movimento de rotação da pelve de um lado para o outro quando cada perna vai à frente e o braço oposto vai para trás além de auxiliar na postura. É um movimento que permanece o tempo todo enquanto dura a corrida podendo se tornar cansativo se não estiverem fortalecidos e flexíveis.

Gestante Não Deve Correr

Categoria: Colunistas
Publicado: Sexta, 28 Março 2014
Escrito por Luiz Carlos Moraes
Gestante

Sei que é um assunto polêmico e muita gente vai dizer que conhece um monte de gestante que continuou correndo e não aconteceu nada, mas sou radicalmente contra a gestante continuar correndo quando existe uma série de outros exercícios mais adequados. A minha mulher na época era maratonista por mim treinada e quando engravidou fui o primeiro a suspender a corrida exatamente por conta do impacto que é 2,5 o peso corporal. Ela passou a caminhar fazer alongamentos, hidroginástica e a pedalar. Hoje continua correndo e temos uma filha sadia e que já me deu um lindo neto. São apenas nove meses e mais o resguardo que a mulher vai deixar de correr, mas não de se exercitar. Depois disso a mulher volta a correr e geralmente melhor que antes.
As alterações gestacionais em minha opinião são justificativas mais que suficientes para suspender a corrida e/ou qualquer exercício de impacto tais como step, trampolim e etc.

Flexibiblidade Durante o Ciclo Mesntrual

Categoria: Colunistas
Publicado: Segunda, 17 Março 2014
Escrito por Luiz Carlos Moraes
Flexibiblidade Durante o Ciclo Mesntrual

A flexibilidade

Primeiramente é preciso não confundir. Por definição “flexibilidade é a amplitude máxima de um movimento em uma ou várias articulações combinadas” e o alongamento é o exercício destinado a desenvolver essa capacidade. Existe ainda, a diferença entre o alongamento e flexionamento defendido em tese de mestrado por Dantas referindo-se à intensidade do alongamento, respectivamente grau submáximo e máximo. Ou seja, na linguagem popular “forçar” mais ou menos de acordo com o objetivo. A flexibilidade também está associada ao sexo, à idade, a lateralidade corporal, a hora do dia e aquecimento.

As mulheres e as crianças são normalmente mais flexíveis, mas será que essa flexibilidade varia durante o ciclo menstrual? É o que vamos ver agora.

O Treino das Mulheres Dever Seguir o Ciclo Menstrual

Categoria: Colunistas
Publicado: Segunda, 10 Março 2014
Escrito por Luiz Carlos Moraes

Como citei no artigo anterior as mulheres ocupam cada vez mais as corridas de rua fato marcado pela quantidade de eventos a elas destinados como corrida contra câncer de mama, Avon, dia Internacional da mulher, Circuito Vênus entre tantos outros eventos que acabam atraindo bons patrocinadores. Só o circuito Vênus desde a sua primeira edição já colocou na rua mais de 8000 corredoras. A própria São Silvestre desde que elas começaram a correr em separado dos homens bate recorde de participantes a cada ano. Aqui em Petrópolis não é diferente. Na Meia Maratona Faz um 21 foram mais de 300 mulheres participando em duplas mistas e feminina. O fato se deve principalmente a adesão das academias e as equipes particulares onde em cada uma dessas equipes tem pelo menos de 30 a 50 corredoras cadastradas.

No artigo passado falei das vantagens biomecânicas das mulheres em relação aos homens e hoje vou falar um pouco o porquê de o treinamento físico ser diferente dos homens respeitando a fisiologia feminina.

Mulheres Podem e Devem Correr

Categoria: Colunistas
Publicado: Terça, 04 Março 2014
Escrito por Luiz Carlos Moraes

Dia desses ouvi mais um desses absurdos que vez por outra “rola” na Internet em artigos e/ou comentários de “supostos” entendidos. Tratava-se de um indivíduo dizendo que sua mulher, profissional de saúde, ao participar de um simpósio ouviu de um palestrante a afirmação que a corrida é prejudicial à mulher e deveria apenas caminhar.